Superando a ansiedade

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cada vez mais comum entre os brasileiros, transtorno causa impactos profundos na vida das pessoas.

A ansiedade é um sentimento comum. Todo mundo já se sentiu apreensivo antes de uma prova importante, de uma entrevista de emprego ou de uma reunião decisiva no trabalho, por exemplo. Em alguns casos, aquele friozinho na barriga pode até ser gostoso ou servir de incentivo para a pessoa mostrar o seu melhor. Mas, para muita gente, essa sensação é um problema grave. A ansiedade é tanta que chega a atrapalhar tarefas cotidianas que, à primeira vista, poderiam parecer simples. Para essas pessoas, o medo e a preocupação são constantes. A sensação é de que uma tragédia está prestes a acontecer. A agonia é tão grande que chega a paralisar.

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 9,3% dos brasileiros sofrem com o transtorno de ansiedade. O Brasil é o país com o maior número de pessoas apresentando sintomas da doença no mundo. Ao todo, são 264 milhões de ansiosos no planeta, uma média de 3,6%. Isso representa uma alta de 15% em comparação com 2005. Em escala mundial, a OMS estima que a ansiedade e outros transtornos mentais ocasionem uma perda econômica de US$ 1 trilhão por ano.

Quem sofre de ansiedade conhece bem os sintomas. Boca seca, falta de ar, palpitações, náusea e tremedeira são alguns deles. A pessoa também se sente inquieta, irritada, tem dificuldades para se concentrar e para dormir. A doença pode aparecer em qualquer idade e, na maioria das vezes, sem justificativa aparente. Ao contrário de outras doenças, os transtornos mentais são causados por diversos fatores. O estilo de vida agitado das grandes cidades, situação econômica, concorrência acirrada, desigualdade, desemprego e recessão são algumas das possíveis causas.

O tratamento contra ansiedade envolve terapia e pode incluir antidepressivos, mas pequenos hábitos ajudam a aliviar os sintomas e até mesmo impedem uma crise mais severa. Praticar atividades físicas e ter uma alimentação saudável são requisitos essenciais para a qualidade de vida e também para a saúde mental. Os exercícios ajudam a liberar serotonina e dopamina no cérebro, substâncias responsáveis pela sensação de prazer e bem estar. Controlar a respiração também é fundamental para reduzir as reações do sistema nervoso. Experimente respirar bem fundo e, lentamente, feche os olhos e imagine-se numa praia com ondas cada vez mais lentas. As técnicas de meditação ajudam a relaxar, afastar os pensamentos negativos e desenvolver o autoconhecimento. Separe um tempo para cuidar de você e estar com as pessoas que lhe fazem bem. Se você se identificou com alguns destes sintomas, consulte o quanto antes um especialista.

 

Fonte: Revista Ofertão.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *