7 dicas para combater o estresse de forma natural

Investir em vitamina C, exercícios físicos e mentalização positiva ajudam a neutralizar efeitos negativos do estresse

 

Apesar de ser uma reação natural do organismo, que nos prepara para momentos de perigo ou alerta, o estresse nem sempre é benéfico. Quando ele começa a afetar aspectos importantes do dia a dia, é preciso investigar o que está desencadeando essa reação e encontrar formas, ainda que naturais, de combatê-la.

 

Parece difícil viver uma vida livre de estresse com tantas obrigações, demandas e compromissos, não é mesmo? Porém, com algumas mudanças de hábito, é possível diminuir o estresse e enfrentar os desafios do dia a dia com mais tranquilidade, calma e bem-estar, sem ser afetado pelas consequências físicas do estresse, como insônia e pressão alta.

 

Listamos abaixo algumas medidas naturais que ajudam a combater o estresse e, de quebra, garantem mais saúde e qualidade de vida. Veja mais:

 

  1. Exercícios físicos

Além de prevenir alguns problemas de saúde, como hipertensão e diabetes, praticar alguma atividade física regularmente é uma ótima saída para quem se sente estressado com frequência. Os exercícios relaxam a musculatura, aliviam a tensão acumulada e proporcionam mais bem-estar aos seus praticantes, uma vez que há a liberação de endorfina, o hormônio da felicidade, durante o movimento.

 

Por isso, investir em uma rotina de exercícios pode ser uma boa válvula de escape para quem vive dias estressantes e, de quebra, deseja abandonar o sedentarismo. O caminho é encontrar a atividade, ou esporte, mais adequado para você e que caiba na rotina: caminhada, corrida, natação, circo, escalada, dança, artes marciais e pilates são alguns exemplos para experimentar.

 

  1. Técnicas de relaxamento

Muitas vezes, surge a vontade – e necessidade – de lidar com o estresse imediatamente, como quando nos deparamos com uma dificuldade no trabalho. Nessas horas, vale a pena colocar em prática algumas técnicas de relaxamento que aliviam o estresse em até um minuto, ou menos. São atitudes simples, mas eficazes, que tiram o nosso foco do problema central, para que possamos vê-lo com distanciamento e um pouco mais de calma.

 

Tomar um copo d’água e sair para comer uma fruta, como uma laranja, são dois bons exemplos. Enquanto a vitamina C inibe a ação do cortisol, um hormônio do estresse, a água repõe a hidratação do corpo, regula a respiração e alivia a pressão sobre o coração. Outra dica é fazer uma massagem nos ombros ou nos pés, o que ajuda a acalmar os pensamentos e alivia a tensão muscular causada pelo estresse.

 

  1. Alimentação saudável

É verdade que, em situações de estresse, podemos acabar descontando todos os problemas na comida. Estar consciente disso e adotar uma alimentação saudável são formas de prevenir o quadro e também outros problemas de saúde, como o colesterol alto e deficiências nutricionais.

 

A laranja, por exemplo, é rica em vitamina C, um nutriente que inibe a liberação do cortisol, principal hormônio relacionado ao estresse. Espinafre e brócolis, por sua vez, contêm potássio e ácido fólico, importantes para o funcionamento correto das células, e vitaminas A, C e do Complexo B, que atuam na regulação do sistema nervoso. O maracujá também entra nessa lista, já que as folhas da fruta são ricas em alcaloides e flavonoides, nutrientes que diminuem o estresse.

 

Devido a essas propriedades, a passiflora, extrato natural das folhas do maracujá presente em medicamentos fitoterápicos, é uma possibilidade de tratamento. Ela ajuda em casos de ansiedade leve, estados de irritabilidade, agitação nervosa e insônia. A passiflora conta com ação calmante, estimulando a liberação de hormônios que causam relaxamento e sensação de bem-estar. Consulte um médico para saber mais!

 

  1. Respiração profunda

Parece simples – e é, de fato – mas parar por alguns minutos e respirar profundamente é um hábito que pode ajudar a diminuir o estresse e a agitação no dia a dia. Basta procurar um local silencioso, fechar os olhos e inspirar e expirar profundamente, com calma e consciência. Essa prática ajuda a inibir o cortisol, hormônio do estresse, acalma os pensamentos naqueles momentos mais críticos.

 

  1. Óleos essenciais

A aromaterapia faz uso de óleos essenciais e óleos vegetais para agir terapeuticamente no nosso organismo. Funciona da seguinte forma: quando sentimos um cheiro, o sistema límbico, responsável por emoções e comportamentos, recebe uma informação, que pode ou não ter relação com a memória olfativa. Por isso, se você inalar o aroma de lavanda ou outro extrato com propriedade calmante, sentirá os efeitos benéficos em questão de segundos.

 

Os óleos podem ser aplicados de diferentes formas: em compressas, como inalação, em difusores específicos e até durante uma massagem. O ideal é contar com essa ajuda dos aromas regularmente, para que o alívio do estresse seja duradouro. Além de lavanda, outros óleos essenciais contam com propriedade calmante, tais como camomila, citronela, bergamota, tangerina e palmarosa.

 

  1. Mentalização positiva

Mudar a perspectiva e fazer uma mentalização positiva, mesmo em dias estressantes e difíceis, é mais um exemplo de atitude que ajuda a aliviar o estresse. Pessoas com fortes emoções positivas têm níveis mais baixos de substâncias químicas associadas ao estresse e sofrem menos frente a situações e imprevistos que estão fora do seu controle. Por isso, quando se sentir estressado, experimente parar, respirar e ficar a sua atenção em coisas que deram – e estão dando – certo na sua vida.

 

  1. Sono profundo

Por fim, não abra mão de uma boa noite de descanso. É durante o sono que o organismo se recupera das agressões causadas pelo estresse crônico. Além disso, noites mal dormidas alimentam o mal-estar e o nervosismo, por isso, o ciclo precisa ser rompido. Invista em hábitos relaxantes à noite, como manter o ambiente do quarto pouco iluminado e, mais importante ainda, deixe o celular desligado e bem longe da cama.

 

Fonte: Minha Vida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *